Nos EUA existe uma prova chamada GMAT e estratégias de estudos e técnica são os principais meios para uma boa nota nessa prova. Ela é uma prova aplicada para estudantes que querem fazer MBA nas escolas de negócios americanas. Não existe passar ou não passar, o que existe é uma pontuação que é avaliada pela comissão de admissão de universidade que o aluno deseja entrar. Normalmente os alunos com melhores notas tem mais chances de entrarem nas universidades mais badaladas como Harvard, Stanfor ou MIT. Essa prova é bastante peculiar. Toda feita em computador, conforme você acerta uma questão a próxima vem com um grau de dificuldade maior, caso você erre a questão seguinte vem com um nível de dificuldade menor. O ideal é você trafegar pelas questões mais difíceis que valem mais pontos. No fim da prova você já recebe a nota, em segundos.

Mas o que podemos usar de lição do GMAT para as nossas provas brasileiras? A resposta é: muitas estratégias de estudos!

O GMAT é feito por alunos do mundo inteiro e é mais que provado que método e estratégias de estudos são os principais meios de se conseguir uma boa nota. Nem todas as estratégias podem ser usadas aqui. Mas vamos citar 5 estratégias que os alunos que obtiveram as melhores notas utilizaram. Estamos falando de alunos que entraram em Harvard, Stanford, MIT, Columbia e etc. São os tops dos tops.

1- Utilize os materiais específicos

Quando você vai fazer um cursinho ou curso preparatório para alguma prova, acredite, aquele material foi feito para a prova. Normalmente são anos de pesquisa para que um curso chegue naquele conteúdo específico. Não adianta ficar viajando e pesquisando em diversas fontes, livros e materiais. Se o curso tiver um bom histórico significa que o material é completo. Lembre-se do seu objetivo principal. Passar na prova.

2 – De baixo para cima

Certifique-se que você está MUITO bem no básico antes de tentar resolver os problemas mais complexos. A base é essencial. Você precisa de consistência e rapidez. Assim que você estiver 100% no básico será mais fácil ir aos problemas mais complexos. Um bom teste para saber se você realmente está 100% é conseguir ensinar com facilidade, errar quase nada, entender os princípios básicos do conteúdo. É como se você estivesse construindo uma base para um prédio. Se a base for firme o prédio se sustenta.

3 – Ataque suas fraquezas com rapidez

Todos temos pontos fortes e pontos fracos. Ataque seus pontos fracos rapidamente. Quanto mais passa o tempo menos tempo você tem para aprender o que não sabe. Quantas vezes você não se viu na situação de saber muito bem alguma coisa e algum outro assunto você não saber nada? Diminua as distâncias de conhecimento entre um conteúdo e outro. Temos um péssimo hábito de procrastinar com o que temos dificuldades, então tire isso da frente de uma vez. Aprenda e se livre do problema.

4- Estude o formato da prova

Não importa se você sabe o conteúdo na ponta da língua e pode recitar todos os livros de ponta a ponta, se você não souber fazer a prova as suas chances são pequenas. Usain Bolt é o corredor mais rápido do mundo e nem por isso ele vai ganhar a prova de 1.500 metros pois a prova dele é 100 e 200 metros. Você pode ser a maior conhecedora de direito constitucional do país, mas se só fez provas escritas até hoje provavelmente terá problemas numa prova oral.

5 – Na véspera da prova você sabe o que sabe

Faltam 10 dias para a prova. Revise, refaça, exercite. Você já está cansada e o aprendizado é mais difícil. Esse tempo é precioso para você chegar na prova em forma. Usando uma analogia com esportes novamente: se você treinou para a maratona mas dias antes da prova percebe que sua técnica de respiração pode ser melhor… Agora é tarde. Em dias você não vai mudar sua técnica. Vá para a prova com o que você treinou. Aproveite os últimos dias e melhore ainda mais o que você já estudou bastante.

Parecem conceitos óbvios mas muitas vezes fazemos o contrário disso e acabamos perdendo tempo e energia e nos desviando do foco.

Lembre-se, o objetivo é passar na prova! Estude para ela!